Maternidade do Cabo vai utilizar a ultrasson natural em gestantes

Nas últimas semanas de gestação, a mulher sente um misto de ansiedade, nervosismo e medo. É nessa fase que o corpo passa pelas mudanças que irão preparar a chegada do bebê. Um método que tem propiciado o relaxamento e o desbloqueio em relação aos momentos finais da gestação é a ultrasson natural.

Criado pela parteira mexicana Naoli Vinaver, o método alternativo vai ser adotado na rede de Saúde do Cabo de Santo Agostinho.  Enfermeiras obstetras receberam um treinamento nesta segunda-feira (25), na Maternidade Padre Geraldo Leite Bastos, em Ponte dos Carvalhos, ministrado pela técnica de Saúde da Mulher da Secretaria Estadual de Saúde, Hérika Dantas, e Rosely Lira, da Rede Cegonha, do Governo do Estado.

“Esse é um novo modelo de assistência ao parto. A técnica humanizada consiste no desenho e pintura da barriga, representando o útero, placenta, o líquido amniótico, o cordão umbilical e a posição do bebê. A posição é identificada por meio da apalpação obstétrica”, esclarece Hérika Dantas. A ultrasson natural na rede pública é indicada a partir da 37ª semana de gestação.

“Isso traz para mãe um conhecimento sobre a acomodação da criança na barriga, pois para ela é muito subjetivo como ele está. É uma forma também de diminuir a tensão e expor os medos, favorecendo a liberação de hormônios bons no preparo para o parto”, complementou a enfermeira obstetra da Secretaria Estadual de Saúde.

A ultrasson natural não substitui a convencional.  Ela será indicada na Maternidade Padre Geraldo Leite como uma alternativa terapêutica, que auxilia a futura mamãe na preparação para o momento do parto. A ultrasson natural também será difundida nas Unidades de Saúde da Família (USF) entre os grupos de gestantes. A técnica favorece a elevação da autoestima da gestante, que pode registrar o momento especial com a fotografia.  “Não há registros científicos de que a ultrasson natural facilita o momento do parto, mas os benefícios ajudam a tranquilizar a mãe e o bebê”, comentou Hérika Dantas.

AMBIENTE – Como o objetivo é que a mãe se conecte ainda mais com o bebê, o preparo do ambiente ganha importância. “Não é só realizar a pintura do ventre. O local deve ser preparado de forma a promover o relaxamento da mulher. Com música, incensos e frases de encorajamento”  explicou Hérika Dantas.

Geovana Helen da Silva, 18 anos, fez a ultrasson natural. Ela está no 9º mês de gestação do segundo filho. No primeiro, sofreu um aborto espontâneo. “Estou me sentindo feliz por experimentar essa técnica. Espero que outras grávidas sejam atendidas com a ultrasson natural, como eu”, disse.

Queremos tornar a ultrasson natural uma prática diária a ser oferecida as gestantes do Cabo de Santo Agostinho”, declarou a coordenadora de enfermagem da Maternidade Padre Geraldo Leite Bastos, Jane Cleide Nascimento.

MATERNIDADE – A Maternidade Padre Geraldo Leite Bastos realiza 100 partos mensais. A unidade oferece assistência às gestantes, com orientações sobre amamentação, cuidados com higiene e métodos contraceptivos mais seguros, a exemplo do Diu, oferecido pela rede municipal de Saúde.

Foto: Léo Domingos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *