Summerville Beach Resort terá 100% de água aquecida por energia solar até outubro

Summerville Beach Resort, em Porto de Galinhas, empreendimento do grupo Pontes (proprietário e administrador também dos hotéis Mar Hotel Conventions e Hotel Atlante Plaza, em Recife), há dois anos utiliza energia limpa, em especial a solar e, segundo o seu gerante geral, Enio Grassi, até outubro deste ano 100% de sua água será aquecida por este tipo de energia alternativa.

“Nossos 202 apartamentos e a cozinha terão água aquecida totalmente oriunda do nosso projeto de energia solar, que estará em pleno funcionamento em outubro deste ano”, adiantou Grassi ao DIÁRIO. O investimento que o grupo Pontes faz no projeto gira em torno dos R$ 800 mil.

Enio acrescenta que tanto o hotel, quanto o grupo hoteleiro tem um profundo comprometimento com os ecossistemas em que seus hotéis estão instalados e eles adotaram a politica de compra de energia limpa. “Nós compramos energia produzida no mercado livre, de fontes como usinas eólicas e solar. “Temos uma economia em torno de 25% usando esses tipos de energia”, enfatiza Enio. A compra é feita junto ao grupo da CPFL Brasil.

Seletividade

A destinação do lixo gerada pelas atividades hoteleiras no resort é outro assunto abordado por Enio. Segundo o gerente são investidos cerca de R$ 15 mil por mês na gestão dos resíduos e o objetivo é diminuir esses gastos. “Temos uma estação própria de tratamento de esgoto que já amortiza gastos se terceirizássemos. Temos uma empresa contratada para a destinação correta do nosso lixo, tudo enviado para uma usina de reciclagem na Zona Metropolitana de Recife”, afirma o executivo.

Enio enfatiza que os hoteleiros de Porto de Galinhas por meio da Associação dos Hoteleiros de Porto de Galinhas são os primeiros a se preocuparem com os resíduos e o destino do lixo, afinal, o turismo e a hotelaria dependem de ecossistemas limpos e saudáveis. “Não adianta apenas fazermos a seleção do lixo aqui na ponta. Somos cobrados e também exigimos que todo lixo produzido em nossos hotéis tenham destinação adequada como às usinas de reciclagem”, enfatizou.

Descarte

Ele finaliza dando um exemplo clássico de destinação do lixo: “50% das nossas lâmpadas são de tecnologia LED (Light Emitter Diode) – que são mais econômicas, duram mais e causam menos impacto ao ambiente quando descartadas. No entanto, temos um custo de R$ 1.75 por lâmpada descartada, já que não podemos simplesmente colocá-las em um saco de lixo”, enfatiza.

com informações de https://diariodoturismo.com.br/

Foto: Diário do Turismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *